Quero ser protagonista de propaganda de margarina

Pode ser também de Sazón.  Ou de Tang.  Ou até mesmo daqueles comerciais de produtos de limpeza, XR-14 ou Pato Purific.  Ou de todos eles, porque todos têm uma coisa em comum: mostram momentos que eu não consigo experimentar no meu dia a dia, que passam bem longe da minha rotina diária.  E olha que eu já tenho o cenário e elenco perfeitos: marido, casa, 2 filhos, mesa de jantar, fogão, margarina na geladeira, mas nunca protagonizei uma cena como destas propagandas.  Família reunida em volta da mesa posta para o café da manhã, marido sorridente de gravata pedindo gentilmente para passar a margarina e os filhos já arrumadinhos e lindinhos, prontos para ir para a escola.  Todos alegres, tranquilos, sem nenhuma pressa para o longo dia que os espera.  Aliás, o dia está sempre ensolarado sem uma nuvem no céu, alguém já viu propaganda de margarina num dia feio e chuvoso?

Aí vem o almoço, o dia continua lindo e a protagonista está no fogão, ao lado da empregada também sorridente de avental impecável, mexendo uma panela de feijão fresquinho, exalando um cheiro que somos capazes de sentir do outro lado da televisão.  Todos voltam para casa para almoçar, sentam juntos à mesa, experimentam o melhor feijão da vida deles e enchem a mulher de elogios e beijos.

O Tang vem à tarde, quando todos os amiguinhos do filho estão brincando alegremente no quintal e a mãe – a mesma protagonista do café da manhã e do almoço repletos de felicidade – chama toda a molecada para tomar um copo de suco que ela acabou de fazer em 2 minutos numa jarra linda de cristal.  Todos obedecem na hora (ha ha ha!), vêm correndo e bebem aquele suco aguado como se fosse uma deliciosa coca-cola gelada.  Chega o jantar, mas a protagonista está um pouco atarefada com a limpeza da casa.  É um episódio tenso do seu dia, mas neste momento a empregada lhe apresenta um XR-14, que num passe de mágica, tira todas as manchas, gorduras e sujeiras que o delicioso e elogiado feijão deixou no fogão.  Pronto, ela já está linda novamente para receber os filhos e o marido – ainda sorridentes -, servir uma suculenta lasanha pronta da Sadia que esquentou em 10 minutos e receber mais elogios e beijinhos para fechar a sua árdua maratona diária.  Ufa!

Se eu quero essa vida?  Não, porque além de ser chata, ela não existe, mas queria sim viver alguns momentos como estes.  Por que não?  Como sonhar não custa nada, poderia também incluir umas cenas de propaganda de desodorante, em que a fofa da protagonista vai andando pela rua soltando pétalas de rosas pelas axilas.  Podem entrar também umas cenas de Molico, em que ela toma seu leite se espreguiçando e quase levitando diante de um mar azul maravilhoso.  Para completar o dia, pitadas dos momentos simples e felizes da campanha do Pão de Açúcar, como comer um pão francês quentinho – tem que ter a fumacinha – ou queijo com goiabada, arroz com feijão, brigadeiro na panela.  Brincar na areia da praia, dançar na chuva sem preocupação, falar bobagem, fazer nada, fazer de tudo, andar descalço, abraçar quem se ama.  Delícia de vida.

Mas quer saber, o que eu quero mesmo é não ter roteiros definidos para a minha vida, é apenas ter alegria, sabedoria e saúde para enfrentar e receber de braços abertos os momentos que a vida me apresentar.  Que sejam previstos ou inesperados, bons ou ruins, simples ou extraordinários, mas que sejam os meus momentos, aproveitados e vividos da minha forma, do meu jeito.

Vou continuar chorando em propaganda de margarina – esse é o meu jeito -, mas o que eu quero mesmo é ser protagonista da minha vida!

Para relembrar (e chorar…):

Doriana – Os elogios são pra você – 1986

Clássica homenagem do Tang ao Dia das Mães

Sazon, o tempero do amor

O que faz você feliz?

Este comercial da Sadia é um dos mais emocionantes que já vi, lembro que na faculdade tive uma aula de Mídia com este filme e jamais me esqueci dele.  E ainda virei fã do Placido Domingo, que canta a música Perhaps Love lindamente.

Sadia 50 anos

Anúncios

Coca-Cola é isso aí!

Desde os tempos da vovozinha, quer dizer, da bisavó (pois é, ela foi criada em 1886!), a Coca-Cola desperta paixões.  Eu sou uma confessa viciada, dependente e apaixonada por ela.  Se estivesse em um deserto morrendo de sede, com certeza meu oásis seria uma latinha de coca-cola gelada e não um copo de água.  O máximo que consegui fazer para não danificar tanto o shape, foi trocar a Coca normal pela Zero. Pronto, nada mais posso fazer, não vivo sem Coca-Cola.

No entanto, sou testemunha de que ela não agrada a todos.  Meu avô era um fervoroso disseminador dos perigos e prejuízos causados pela Coca-Cola. Vivia dizendo que ela era um veneno capaz de desentupir pias e corroer o estômago das pessoas.  Não cansava de fazer caretas quando minha avó (que adorava tomar Coca-Cola) colocava uma garrafa na mesa do almoço ou jantar.  Em poucos minutos, todos à mesa já estavam com os copos cheios de Coca, e meu avô, tomando sua água mineral, continuava amaldiçoando o coitado do refrigerante.  Não sei se são muitos os que detestam Coca-Cola como o meu avô, mas não dá para negar que esta é uma marca poderosíssima que fez e continua fazendo uma história de sucesso no mundo inteiro. 

Mais que uma simples bebida, a Coca-Cola é uma forma de pensar, agir e encarar a vida.  É uma marca que inspira e encanta, e que consegue mover seus apaixonados para onde ela quiser: para uma causa, um pensamento, um estado de espírito, uma atitude.  Consegue fazer com que as pessoas assobiem seus jingles por anos a fio, usem seus slogans como parte do seu vocabulário e abominem seus concorrentes (eu por exemplo, não chego nem perto de uma Pepsi!). 

Como quase tudo acaba em propaganda neste blog, aqui estão alguns anúncios da Coca-Cola que mostram a trajetória da marca nestes 124 anos de existência. 

Primeiro anúncio em 1886 em um jornal de Atlanta

Anúncio de 1905

Anúncio 1911 - Coca-cola por 5 cents!

Anúncio de 1920

Em 1931, o primeiro anúncio com o Papai Noel

Já causando polêmica com a moça de maiô em anúncio de 1940

1951

Anúncio fofo de 1960

"It's the real thing" de 1970

Desse eu já me lembro - "Coca-cola é isso aí!", de 1985

Os famosos ursos polares da campanha "Sempre Coca-Cola" de 1995

"Viva o lado Coca-Cola da vida", de 2008

A campanha mais recente - "Abra a felicidade"

Na campanha “Viva o lado Coca-Cola da Vida”, foi criado um filme chamado: “You give a little love, and it all cames back to you”, que ganhou Cannes em 2008 e ilustra bem como a marca se posiciona, levando sempre alguma mensagem de alegria, energia ou felicidade.  Eu particularmente, fico bem feliz tomando uma Coca-Cola! :-).  É um filme muito contagiante, dá vontade de sair dançando e ajudando todo mundo!

Ações de Natal cheias de magia e encantamento e geralmente criadas em favor de causas defendidas pela marca, são também a cara da Coca-Cola.  A deste ano não é diferente ou menos emocionante: no site Natal Coca-Cola 2010 Doe brinquedos, é possível escolher um brinquedo de R$ 15,00 – jogo de xadrez, damas, palavras cruzadas, dominó, bola de futebol ou fantoches – e doá-lo para uma instituição de caridade associada à Coca-Cola. 

Enfim, ela pode até desentupir pia e dar celulite, mas ainda assim é deliciosa, está sempre presente em momentos de felicidade e ainda ajuda quem precisa.  Que meu avô me perdoe, mas eu amo a Coca-Cola!

PS: Muitas das informações sobre a história e anúncios antigos da Coca-Cola, eu achei nos sites Jipemania.com e Coke Blog

Orgulho de ser Giovanni

Já estou na Giovanni+DraftFCB há bastante tempo, mas ultimamente, tenho tido ainda mais orgulho dos trabalhos desenvolvidos pela agência.  Uma campanha publicitária é o resultado do trabalho integrado (e árduo) de muitas áreas da empresa – Criação, que tem a ideia criativa e executa todas as peças da campanha, Planejamento, que faz toda a análise de mercado, concorrência, produto, comportamento do consumidor e dá as diretrizes estratégicas para a Criação ter a “big idea”, Mídia, que define onde a campanha tem que ser veiculada para ter seus objetivos e público alcançados, Produção e RTV para finalizar os anúncios, produzir os filmes para TV e spots para rádio, e Atendimento (eu!) que amarra todas as pontas, acompanha todas as etapas com todas as áreas, coordena as entregas e cronogramas, e faz todas as apresentações, aprovações, argumentações e  relacionamento com o Cliente (que é a empresa que está anunciando e pagando a campanha).  Esta é uma explicação bem simplista de um processo que leva meses e demanda muita dedicação, conhecimento e talento dos profissionais envolvidos. 

Colocar uma campanha no ar dá muuuuuito trabalho, mas quando vemos o resultado – na TV, Cinema, Rádio, Revista, Jornais, Mídia indoor, etc. – sentimos que toda correria, stress, pressão e noites viradas valeram a pena.  E quando a campanha consegue mexer com os sentimentos das pessoas é ainda mais gratificante.

A Giovanni tem tido a oportunidade de fazer coisas lindas – e isso requer, além de um trabalho inspirado da agência, um cliente disposto a aprovar ideias ousadas e/ou pagar por produções sofisticadas e caras.  É o caso do filme que fizemos para a Canon, que começa a ser veiculado amanhã, dia 15/11, mas já está sendo divulgado em versão estendida (e ainda mais bonita) na internet.  O roteiro é lindo e a produção primorosa.  Vale a pena ver, rever e se emocionar.  Não é para ter orgulho?

A emoção também foi explorada na campanha que fizemos este ano para o Fleury, que ainda era meu cliente (não sou mais o atendimento da conta) quando foi planejada, concebida e executada, e que foi veiculada de julho a outubro.  Também tenho muito orgulho do resultado deste trabalho: dois filmes (entre várias outras peças) que concretizam o conceito planejado para a marca.

Este é o novo filme da Brastemp (não é da Giovanni, mas é muito bom!), que a partir de uma ideia muito bacana, conseguiu associar o posicionamento da marca – “Assim, uma Brastemp” – a uma atitude inspiradora e contagiante.

Aproveito para compartilhar também alguns filmes internacionais e antigos que me emocionam pela simplicidade, sensibilidade e pela força da mensagem.





Os publicitários também amam

Sei que somos chamados de mercenários, vendedores, egocentristas e manipuladores, mas tenho que mostrar aqui o lado sensível e genial dos publicitários.  Não dá para negar que alguns criativos acertam em cheio em algumas campanhas publicitárias que nos fazem rir, chorar (ah, você nunca chorou vendo um anúncio na TV?) e nos apaixonar por marcas, produtos e empresas.

Para mim, esta campanha da Disney, premiada em Cannes em 2001, é a melhor de todas.  É claro que a marca Disney já  tem seu próprio encanto e contribui muito para o sucesso de qualquer campanha, mas temos que admitir que o conceito criativo – Magic Happens – e a execução dos filmes são de uma sensibilidade sem igual.  O resultado foi uma campanha que até hoje é lembrada no meio como uma das mais emocionantes de todos os tempos.  Confira.

%d bloggers like this: